Quando nos questionamos sobre o plano B da vida

Há dias vi esta imagem que aqui reproduzo, da autoria do ilustrador catalão Jordi Labanda. Fiquei a pensar nela e associei-a a um belíssimo texto, outonal, do José Tolentino Mendonça, que tem uma rara capacidade para escrever sobre a alma humana.
A certa altura escreve ele:

(…) Há um momento na nossa vida, ou há momentos nela, em que fazendo um balanço, sentimos que ficámos aquém dos nossos próprios sonhos. (…) Esperávamos isto e aquilo que não aconteceu. Desejávamos uma plenitude, uma fulgurância, um clarão e o que temos é uma estreita e baça normalidade. Sentimo-nos, sem saber bem como, a viver sob tetos baixos. Há uma espécie de doçura prometida que nos escapa, que fica adiada, que começamos talvez a julgar que já não será para nós, tão inacessível nos assoma. Continuar lendo Quando nos questionamos sobre o plano B da vida

Anúncios