Vamos #emãegrecer com cabeça?

É oficial – estou a precisar de perder 5kg. É uma mer chatice, mas é verdade.

E tenho uma pequena suspeita de que não estou sozinha.

Não sei como é com as outras pessoas, mas entre Setembro e agora, meio de Fevereiro, engordei 5kg. Entre as festas, o Natal e passagem de ano; alguns aniversários e respectivos bolos e tão somente seguir a minha natureza (enfardadeira), comi como gente crescida e sem medo do amanhã.

Pois o amanhã chegou agora numa consulta médica em que vi +6 do que devia. Dei de barato 2 extra, é da roupa, sabe que lá em casa marca dois abaixo, olhe que não, menina, olhe que não.
Isso e ver-me no espelho comunitário, quando fico desfasada da maralha toda na aula de zumba onde apareço uma vez por mês. Assim tive uma epifania, daquelas que não motivam nada, bem pelo contrário – estou a precisar de fechar bem as calças outra vez e de poder dobrar o joelho sem fazer garrote.

E agora a má notícia – as dietas são todas uma treta.

Continuar lendo Vamos #emãegrecer com cabeça?

Os cereais que salvaram os meus pequenos almoços

cereais-mgz

Há os dotados para a cozinha e há os nabos que têm de se desembrulhar (abstive-me de escrever desenrascar porque a minha mãe não gosta…). Estou claramente na 2ª categoria.

Ter um robô ajuda enormidades, mas a cena do pequeno almoço saudável não estava a ser a minha praia… até descobrir a receita milagrosa que salva as minhas manhãs 😍 Continuar lendo Os cereais que salvaram os meus pequenos almoços

Actualização e palavra do ano

Feliz ano de 2017!

anna-parini

O final do ano é como se prevê – agitado, numa correria, com antibióticos, algumas frustrações e outras quantas consolações, papo cheio e muitas horas de pijama em casa 😉

Não escrevi nada. Aliás, sobre o final do ano e o pensamento mágico de que uma nova contagem a partir do 1 de Janeiro faz milagres, já muito escrevi aqui. Gosto especialmente do artigo que explica como podemos fazer com que as boas intenções se realizem e não encham o Inferno… Continuar lendo Actualização e palavra do ano

Consumo responsável | Primeiros passos

Passaram 2 semanas desde que assisti à conferência da guru do desperdício zero e uma desde que vi o documentário Before the flood, como escrevi aqui.

Roma e Pavia não se fizeram num dia e aqui registo as primeiras impressões de uma tentativa consciente e deliberada de consumir melhor e poluir menos.

diego-herrera Continuar lendo Consumo responsável | Primeiros passos

Consumo responsável | cosmética e toilette

Uma boa forma de rever e reflectir sobre o nosso consumo é começar pelo que colocamos na nossa pele.
Se vamos agarrar o boi pelos cornos, ao menos podemos começar por uma parte mais… macia 😉

maegazine-guia-cosmetica Continuar lendo Consumo responsável | cosmética e toilette

Acordar para a vida | desafio mãetinal

Tenho-me fartado de ler artigos que pregam as incontáveis virtudes de se acordar cedo e fazer algo para nós próprios em primeiro lugar. Acordar para a vida e não se ser apanhado na curva, já com o comboio em andamento. Este artigo é interessante e fala disso, este também.

Mas até agora era só teoria e blá blá blá… até sentir na pele as vantagens 😀

coby-whitmore Continuar lendo Acordar para a vida | desafio mãetinal

B  A  BA do stress 

Sei, por experiência própria – por estudar, por ler, por analisar – que o stress é tramado. Para quem tem filhos, sobretudo pequenos, o stress pode ser mesmo brutal (e soltamos o animal facilmente). Escrevi sobre isso no artigo Vamos falar sobre o ‘burn out’ materno?

O stress é uma resposta biológica, primária, e serve para nos defendermos. Defendermos das ameaças externas, dos perigos.

Agora já não são as intempéries, a falta de comida para caçar ou colher ou as tribos rivais (ideias de quem não é antropóloga, ah ah), mas são a falta de estrutura familiar de apoio, as exigências laborais, o tempo passado no trânsito ou nos transportes, as inúmeras exigências da vida numa capital europeia, às quais se juntam as pequenas e acumulativas chatices de uma vida corriqueira e, last but not least, o desafio que é ter 3 miúdos com idades inferiores a 7, com carácter bem (bem) (mesmo bem) vincado…

O nosso cérebro responde de uma de 3 formas ao stress: ou atacamos, ou fugimos, ou congelamos.

Continuar lendo B  A  BA do stress