Consumo responsável e desperdício (quase) zero

Acabei agora mesmo de ver o filme documentário Before the flood, de Leonardo Di Caprio, e os factos são assustadores, o que se está a passar no planeta Terra, a nossa casa comum, devia fazer-nos reflectir e tomar posição.

O filme, aqui legendado em português, termina com uma nota de esperança que repousa na nossa própria postura, passiva ou proactiva. Interpela-nos a termos um consumo responsável, do nosso estilo de vida, do que comemos, do tipo de energia que consumimos.

buyerarchy-of-needs Continuar lendo Consumo responsável e desperdício (quase) zero

Anúncios

Sugestões de prendas de Natal (para pais desesperados)

sugestoes cactos mgzEntrámos oficialmente em contagem decrescente para o Natal.

Na tradição cristã, esta contagem decrescente é o Advento, que este ano começou dia 29 de Novembro (4º domingo antes de Natal). Nessa linha, cada semana que antecede o Natal é, na tradição espiritual, uma preparação, um estado de espírito que vai mudando até ao dia N.

Mas mais ou menos despojada de conteúdo religioso, o Natal é uma tradição festiva de reunião familiar (e de tensões também), de fausto gastronómico e… de troca de prendas! Seja quem for que as traz 😉

Chegados a este ponto, embatemos sempre na mesma questão: Continuar lendo Sugestões de prendas de Natal (para pais desesperados)

Como fazer uma tipi que serve de cabeceira de cama?

Chegou a altura da minha índia mudar de cama. Andei a namorar móveis e encontrei uma cama giríssima, com uma tenda de madeira por cima. Acontece que o preço era upa upa e com o colchão ficava francamente fora de orçamento. Fiz uma pesquisa no pinterest por tipi/tepee/teepee + bedroom/bed e abriu-se um mundo de possibilidades. Espreita aqui, espreita ali e como não é propriamente uma coisa assim tão complexa que só se possa fazer de determinada forma, lá fui descobrindo como fazer.

Eis o processo todo explicadinho com fotos e tudo 🙂

tipi mãegazine 1 Continuar lendo Como fazer uma tipi que serve de cabeceira de cama?

Os segredos das casas aprumadas

Tradução e adaptação de um artigo originalmente publicado no Appartment Therapy

Tenho uma amiga com mais filhos que eu, cujo marido trabalha mais horas que o meu, que cozinha mais do que eu e, no entanto, tem a casa sempre mais limpa e arrumada que a minha! Como?!
Decidi pôr tudo em pratos limpos e perceber quais são os segredos das famílias aprumadas. É sobre isso que falo hoje.

Andei a tomar notas das coisas que reparava nas casas todas arrumadas dos meus amigos e reparei nalguns pontos em comum: Continuar lendo Os segredos das casas aprumadas

O que fazer aos trabalhos artísticos dos filhos?

No final do ano lectivo (Junho/Julho aqui em Portugal) lá chegam as grandes pastas cheias de desenhos. Rabiscos mais ou menos interessantes, que testemunham a aquisição de motricidade fina dos nossos rebentos.

As pastas são feitas de grandes folhas coladas com fita cola, têm uma fotocópia a cores com um sorriso mais ou menos aberto do nosso filho para a identificar e dezenas de desenhos entre o A4 e o A3 (e maiores ainda) lá dentro. Isto quando não trazem também coisinhas feitas com feijões, barro e um sem número de materiais.

É desta forma que a criançada aprende as texturas, as cores, o pegar no lápis, etc por aí fora. Tudo bem documentado – e nós temos a confirmação da boa aposta que fizemos naquela pré-escola. Continuar lendo O que fazer aos trabalhos artísticos dos filhos?

mais organização, (muito) menos stress

Quando chegou o bebé nº3, contrariamente ao que esperava, fiquei com uma enorme sensação de paz e calma. Durante muito tempo, vários dias, mesmo semanas consecutivas. Porquê? Porque tinha a sensação de controlo da situação.

Analisando à distância, a origem desta paz vem de três coisas: Continuar lendo mais organização, (muito) menos stress

Sinais exteriores de riqueza (familiar)

Eles andam aí: tatuagens, colares, pulseiras, berloques e, em menor número, t-shirts e afins.

Podemos separar entre os que são perenes (tatuagens), os ornamentais (bijuteria) e os restantes (acessórios, decorações, etc).

Penso que nós, mulheres, os batemos aos pontos, ostentando despudoradamente estes sinais exteriores, sobretudo os ornamentais. Os homens costumam ficar-se mais Continuar lendo Sinais exteriores de riqueza (familiar)