“Modo sobrevivência”

Há alturas na vida em que cuidarmos de nós mesmos não é tão simples como comer um gelado ou ir ao cabeleireiro. Há episódios difíceis, muito difíceis mesmo que se sucedem, “aos cachos”, como as bananas. Uma notícia de desemprego, uma doença tramada, uma separação ou uma morte abalam a nossa estrutura por inteiro. Ou talvez nem seja preciso algo tão trágico para nos deitar abaixo, mas o sentimento de abatimento prevalece.

Entramos então em modo sobrevivência. Não fazemos projectos a longo prazo, não somos capazes de olhar muito além dos nossos próprios pés e concentramo-nos em viver um dia atrás do outro. É como se andássemos no meio dum nevoeiro.

Com miúdos a nosso cargo isto é especialmente difícil: queremos estar bem para poder cuidar deles, mas temos a cabeça cheia de preocupações e o coração apertado. Partilhar alegrias e macacadas é tarefa impossível.

Aqui deixo 5 sugestões que ajudam a passar estas fases (que passam sempre – o sol continua a brilhar, por muito serrado que esteja o nevoeiro!) de uma forma menos dolorosa.  Ei-las:

Focaliza-te no momento presente
Os anglo-saxónicos chamam-lhe mindfulness, que podemos traduzir por consciência plena. É estar onde estão os nossos pés, ou seja, concentrarmo-nos e darmos plena atenção àquilo que estamos a fazer. Todas as pesquisas apontam para uma efectiva redução do stress, ficamos menos reactivos (no mau sentido) e controlamo-nos melhor.

Focaliza-te na gratidão
A gratidão é um dos mais poderosos antídotos para o stress, ansiedade, depressão e para o facto de estarmos tão atarefados que não conseguimos alinhar dois pensamentos. Parar para pensar, e falar com alguém, acerca das coisas que temos na vida pelas quais estamos gratos ajuda-nos a perceber que afinal o resto não é assim tããão difícil de gerir. Fica a sugestão do “jogo da gratidão” para fazer com os miúdos, para celebrar as coisas boas que nos acontecem!

Diz NÃO
São favas contadas que devemos responder sim quando nos pedem algo. Mas como o nosso tempo é limitado, ao dizer não a umas coisas estamos a dar espaço ao sim a outras, mais importantes para nós. Assim retiramos alguma pressão e ficamos mais disponíveis para… respirar fundo, por exemplo!

Não te desperdices
As ganas de des-stressarmos é tão grande que, uma vez os miúdos na cama, nos pomos a fazer escolhas pouco ajuizadas. Colamo-nos aos ecrãs ou abusamos de comida, álcool ou substâncias menos saudáveis. Deixamos de lado o exercício físico e deitamo-nos tarde para relaxarmos frente à TV ou computador. Muitas vezes estas opções são o exacto oposto do que queríamos – tempo de qualidade para nós. Vale a pena repensar estas opções.

Organiza-te
As coisas não acontecem por magia – temos de deliberadamente nos esforçar para que elas aconteçam. Com os dias agitados e o eterno rame rame, só paramos se tivermos mesmo essa intenção. Marca na agenda duas ou três coisas que queiras que aconteçam nesta semana e fá-las acontecer. A tua família vai agradecer!

Adaptação de um artigo originalmente publicado aqui pelo Dr. Justin Coulson.

Anúncios

2 comentários sobre ““Modo sobrevivência”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s