Mitos que fazem de nós mães miseráveis

Tenho andado a pensar muito neste assunto – como a nossa percepção de determinadas coisas, como ser-se mãe e educar filhos, se alterou com esta era da internet, da partilha e da super abundância de informação.

Há um longo texto em inglês (tão longo que não vou traduzir agora!) que fala de 17 mitos que a internet criou em torno desta temática da maternidade. A autora teve filhos ainda adolescente (pré net) e 20 anos mais tarde (pós net) e fala de uma diferença colossal.
Grosso modo diz que a informação é de tal forma vasta que ficamos esmagados e sentimos que falhamos redondamente em toda a linha. É paradoxal, não é? Nunca antes tivemos acesso a tanta informação, mas ao mesmo tempo nunca fomos tão bombardeados com “a fórmula mágica e perfeita” de ser/fazer/reagir/educar/etc.

Dizia o Papa Francisco há dias que os pais se estão a auto excluir da vida dos filhos, ‘entregando-os’ aos especialistas, que tão melhor do que eles sabem fazer as coisas. E apelava a um maior envolvimento dos pais, que passa, sem dúvida, por dedicar tempo à criançada. Mas passa também por saber filtrar o que nos chega e estarmos confiantes nas opções que tomamos.

Nas últimas décadas houve uma profunda alteração da estrutura familiar (com a quase total erradicação da mãe – e avó – dona-de-casa, pelo menos na Europa), à qual se alia um incrível desenvolvimento tecnológico.
Temos, pois, muita mãe entregue a si própria, sem rede de suporte familiar (pelas mais diversas razões) e que procura apoio/aconselhamento/inspiração na internet.

O grande oráculo (também conhecido por Google), tem resposta para tudo.
E nós, como consumidores de informação, deparamo-nos com um abissal desfasamento entre o que vemos/lemos e a nossa própria – caótica e vulnerável – realidade. E cresce em nós uma sensação de desadequação e falhanço, de que não estamos à altura.
É urgente sabermos fazer a triagem do trigo e do joio e acreditarmos mais em nós. Bom-senso precisa-se. A nossa vida, e a dos que educamos, é pessoal e intransmissível, demasiado preciosa para ser comparada com medidas de outrem.
Aqui voltarei para esmiuçar os 17 mitos, ou pelo menos parte deles. Acho que vale a pena.

Ilustração de Jordi Labanda. Gosto das suas ficções desenhadas 🙂

Anúncios

6 comentários sobre “Mitos que fazem de nós mães miseráveis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s