O segredo mais bem guardado (mesmo!)

Sabem qual é o segredo mais bem guardado para quem está grávida ou tem filhos bebés (ou mesmo mais crescidos)? Deixo uma pista:

Allesandro Gottardo

O filme Divertidamente (Inside Out no original) da Disney/Pixar trata da memória e da construção da memória.

Tenho para mim que uma das maiores responsabilidades que temos como pais é de criar boas memórias para os nossos filhos.

Acontece que a construção da memória está associada à adrenalina. Quanto maior a dose de adrenalina, mais marcantes as memórias são. Há episódios da nossa vida que ficaram marcados a ferro, o filme completo, porque foram mesmo importantes. Um parto é um bom exemplo.

O dia a dia, o rame rame, o comboio diário de que aqui falo não cria propriamente memórias, torna-se mais um pano de fundo. Esperamos que esse pano de fundo seja mais luminoso do que sombrio, mas raras vezes há coisas que sobressaem da rotina e dos ritmos diários. A não ser que nos esforcemos por isso – com saídas giras, brincadeiras marcantes, coisas inusitadas e originais.

O relembrar de episódios guardados na memória é desencadeado por diversas coisas, mas há órgãos que têm uns atalhos mais directos. O olfacto é um deles. A audição é outro.

E começamos a aproximar-nos do segredo que quero partilhar e que me pergunto se muitos terão noção dele.

A fase da gravidez parece que dura uma eternidade, a barriga gigante, a azia constante e as pernas pesadas parecem nunca mais terminar. Mas dura no máximo 42 semanas. E é seguido por um dos períodos mais mágicos e extraordinários da nossa vida – ainda encharcadas em hormonas, a nossa vida leva uma reviravolta que nunca nos passou pela cabeça (sobretudo à primeira). As primeiras semanas (primeiro mês e meio, talvez) são (idealmente) de maravilhamento, recuperação, repouso, contemplação. E esta fase passa (também) a voar e nem nos damos conta de que os níveis hormonais se estabilizam e a nossa cabeça e emoções também.

Como agarrar estas emoções e estas memórias? Como não deixar que se desvaneçam para sempre (ou lá perto)?

A minha sugestão é o tal segredo – escolham uma música/um álbum e ouçam-no ad nauseam. Um cd de que gostem a valer. Ainda grávidas ou imediatamente no pós parto, ouçam à exaustão um conjunto de músicas do vosso total agrado. Vale tudo, clássica, popular, rock, o que quiserem e gostarem. E tomem nota desse álbum no álbum do bebé (para não se esquecerem qual era). E depois passem para outra coisa, quando vos apetecer.

E daí a umas semanas, meses ou mesmo anos, quando ouvirem essas mesmas músicas desse período de tempo, reviverão as mesmas emoções e as memórias vão passar à vossa frente, frescas e vívidas, como se fossem um filme. É mágico.

Ainda hoje, enquanto embalo o mais velho, canto-lhe a canção que lhe cantava ainda grávida. Cerro os olhos e vejo passar o filme do teste da gravidez, do percurso para a paragem de autocarro, das festas que dava na barriga, das primeiras contracções, do parto, do regresso a casa. A música cria um filão que unifica as memórias. É um atalho directo e infalível para memórias que não queremos perder.

As memórias ficam guardadas, mas se pudermos ajudar a criar atalhos para acedermos às mesmas mais depressa é preferível, não é?

ilustração de Allesandro Gottardo


Com grávidas de que tanto gosto por perto regressarei em breve à temática da gravidez e do puerpério, da mala da maternidade e o que realmente é preciso ou não. Podes subscrever a Mãegazine por email, pelo Facebook e pelo Pinterest! Até breve 🙂 

Anúncios

Um comentário sobre “O segredo mais bem guardado (mesmo!)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s